A Mulher Sem Pecado – Pequena crítica ao espetáculo

Ontem, na Campanha de Popularização do Teatro e da Dança de BH, assisti ao espetáculo “A Mulher Sem Pecado”, da Cia Arlecchino de Teatro, dirigido por Kalluh Araújo. Valeu a pena ter visto, pois a encenação é muito boa, com figurinos, cenário, iluminação e trilha sonora excelentes.

Kalluh Araújo é um grande diretor. Sua presença é sentida ao longo de todo o espetáculo: nas marcações dos atores, no ritmo, na cor, nos elementos visuais e sonoros da encenação, no expressionismo da cena, etc.

“A Mulher sem Pecado” tem muitos momentos de tirar o fôlego como, por exemplo, a abertura do espetáculo. Mas, devido à verborragia do texto nelsonrodriguiano, possui algumas passagens um pouco cansativas, principalmente no I ATO. Em conversa com um grande amigo e mestre, também diretor, tivemos a sensação, mais uma vez, que o contexto histórico, o tempo psicológico e a narrativa das peças de Nelson Rodrigues estão batidas por demais, sendo necessárias adaptações das mesmas para o contexto mais atual.  Contudo, essas “barriguinhas” no ritmo do espetáculo (devidas aos bifões discursivos das personagens Olegário e Lídia) não tiram em nada o mérito da montagem, que possui direção impecável (limpíssima!, disse meu amigo), interpretações maduras e consistentes, e um visual deslumbrante!

Recomendo!

NOTA: **** (4 estrelas).

Por fim, não façam como eu: comprem os seus ingressos antecipadamente, pois na bilheteria do Palladium, pelo menos para o espetáculo de ontem (A Mulher sem Pecado) e o de hoje (Dolores), os ingressos custam R$ 30,00. Nada populares!

Luciano OLiveira

Anúncios

Indicação de espetáculos da Campanha de Popularização do Teatro e da Dança

De volta à BH, depois de férias merecidas na Baía de Todos os Santos,  começarei minha jornada de acompanhamento de alguns espetáculos da 38ª Campanha de Popularização do Teatro e da Dança de Belo Horizonte.

Para este sábado,21 DE JANEIRO, indico o espetáculo teatral “A Mulher Sem Pecado”, dirigido pelo magistral encenador Kalluh Araújo:

A MULHER SEM PECADO
R$12,00 | Gênero: Drama
Classificação: 16 anos | Dur: 110 min.
SESC Palladium (Grande Teatro)
19jan a 21jan · Qui a Sáb: 20h30
Autor: Nélson Rodrigues | Diretor: Kalluh Araújo | Elenco: Paulo Rezende, Ana Luísa Amparado, Alexandre Vasconcelos, Magdale Alves, Dirlean Loyola, Marcos Eurélio Pereira, Diogo Krisp, Eliana Esteves, Ludmila Cristine | Produtor: Cia. de Teatro Arlecchino | Cenógrafo, figurinista e iluminador: Kalluh Araújo | Trilha Adaptada: Kalluh Araújo | Técnico: Diogo Torino (Som) e Marcio Carvalho (Luz) | Supervisor técnico: Celestino Sobral | Site: http://www.ciaarlecchino.blogspot.com
SINOPSE: Drama de Nélson Rodrigues narra a história de um homem possessivo e ciumento, que perturba sua mulher Lídia, com fantasias de sexo e luxúria. Os fantasmas do passado atormentam a vida de Olegário e o medo de uma possível infidelidade da
esposa determinam seu destino. Um espetáculo provocante, que instiga o espectador à reflexão.

Para amanhã, DOMINGO, 22 DE JANEIRO, um excelente espetáculo de dança de salão da magnífica Mimulus  Cia de Dança:

DOLORES
R$12,00 | Gênero: Dança de Salão
Classificação: 10 anos | Dur: 60 min.
SESC Palladium (Grande Teatro)
22jan | Dom: 18h e 20h
Diretor: Jomar Mesquita | Produtora: Baby Mesquita | Cenógrafo: Ed Andrade | Figurinista: Baby Mesquita | Iluminador: Rodrigo Marçal | Coreógrafo: Bailarinos da Mimulus Cia de Dança | Bailarinos: Jomar Mesquita, Rodrigo de Castro, Murilo Borges, Alexandre Tadra, Juliana Macedo, Andréa Pinheiro, Nayane Diniz e Fabiana Dias | Trilha Adaptada: Jomar Mesquita | Site: http://www.mimulus.com.br / mimulusciadanca.wordpress.com

SINOPSE: Um espetáculo de dança atrevido, no qual a Mimulus visita Dolores (das dores, das pequenas e ridículas dores). O intenso envolvimento dos bailarinos – que tomando como empréstimo músicas e cores de Almodóvar, a ambigüidade dos desejos e o limite (tênue) entre o belo e o kitsch – resulta em personagens que dançam. Dolores vem sendo aclamado no Brasil e no Exterior.

Nos encontramos na platéia?

Luciano Oliveira

WordPress.com.

Acima ↑