A Mulher Sem Pecado – Pequena crítica ao espetáculo

Ontem, na Campanha de Popularização do Teatro e da Dança de BH, assisti ao espetáculo “A Mulher Sem Pecado”, da Cia Arlecchino de Teatro, dirigido por Kalluh Araújo. Valeu a pena ter visto, pois a encenação é muito boa, com figurinos, cenário, iluminação e trilha sonora excelentes.

Kalluh Araújo é um grande diretor. Sua presença é sentida ao longo de todo o espetáculo: nas marcações dos atores, no ritmo, na cor, nos elementos visuais e sonoros da encenação, no expressionismo da cena, etc.

“A Mulher sem Pecado” tem muitos momentos de tirar o fôlego como, por exemplo, a abertura do espetáculo. Mas, devido à verborragia do texto nelsonrodriguiano, possui algumas passagens um pouco cansativas, principalmente no I ATO. Em conversa com um grande amigo e mestre, também diretor, tivemos a sensação, mais uma vez, que o contexto histórico, o tempo psicológico e a narrativa das peças de Nelson Rodrigues estão batidas por demais, sendo necessárias adaptações das mesmas para o contexto mais atual.  Contudo, essas “barriguinhas” no ritmo do espetáculo (devidas aos bifões discursivos das personagens Olegário e Lídia) não tiram em nada o mérito da montagem, que possui direção impecável (limpíssima!, disse meu amigo), interpretações maduras e consistentes, e um visual deslumbrante!

Recomendo!

NOTA: **** (4 estrelas).

Por fim, não façam como eu: comprem os seus ingressos antecipadamente, pois na bilheteria do Palladium, pelo menos para o espetáculo de ontem (A Mulher sem Pecado) e o de hoje (Dolores), os ingressos custam R$ 30,00. Nada populares!

Luciano OLiveira

Anúncios

38ª Campanha de Popularização do Teatro e da Dança de Belo Horizonte

Respeitável público! Vai começar a 38ª Campanha de Popularização do Teatro e da Dança de Belo Horizonte.

Esse é um dos maiores eventos, em números de espetáculo e de público, das Artes Cênicas do Brasil. Do dia 04 de janeiro  até o dia 1º de março de 2012 serão apresentados 145 espetáculos em diversos teatros, salas, espaços culturais e ruas da capital mineira.

Dentre os grupos que se apresentarão, destacam-se o Galpão, o Luna Lunera, o Armatrux e o Grupo Encena. Os espetáculos são divididos por  categorias (dança e teatro) e por gêneros: rua, comédia, adultos, absurdo, contemporâneo, teatro dança, bonecos, drama, drama cômico, musical, stand up, romance, tragédia, etc. Entretanto, apesar da diversidade de gêneros, são predominantes, mais uma vez, as comédias.  E muitas delas são figurinhas repetidas, ou seja, já foram apresentadas nas campanhas anteriores, como é o caso de “O espírito baixou em mim” e “Parente não é Gente”.

Quanto aos espetáculos teatrais, recomendo: “Till, a Saga de um Herói Torto”, “A Idade da Ameixa”, “Flicts” (infantil, direção de Wilson Oliveira), “Brasil das Gerais”, “Um Inimigo do Povo” (direção de Walmir José), “A mulher sem pecado”, “Aqueles Dois” (foto abaixo), “Morte e Vida Severina”,  “No pirex” (Teatro de Animação), “Nossa Cidade”, “Sobre Dinossauros, Galinhas e Dragões” e “Te quero como queres, me queres como podes”.

Tentarei assistir ao máximo possível de espetáculos teatrais e escrever um pouco sobre cada um deles, partindo do ponto de vista da direção e da interpretação. Entretanto, já de início, deixo uma crítica aos produtores da campanha: os preços dos ingressos não estão tão populares assim (podem custar até R$ 30,00), ainda mais se pensarmos que o evento é produzido com fontes provenientes de Leis de Incentivo à Cultura. Fora isso, a minha expectativa é imensa, pois a 38ª Campanha de Popularização do Teatro e da Dança de Belo Horizonte contribuirá, sobremaneira, para a consolidação das Artes Cênicas mineiras no cenário nacional e internacional.

Os ingressos estão à venda nos postos do Sindicato dos Produtores de Artes Cênicas (Sinparc), que fica no Mercado das Flores, próximo ao Parque Municipal, na Av. Afonso Pena, no centro da cidade; no Shopping Cidade e no Minas Shopping; ou ainda na internet, no seguinte sítio eletrônico:  http://www.sinparc.com.br/ingressobh/index.php

O espetáculo Aqueles Dois, da Cia Luna Lunera, é destaque no evento
O espetáculo Aqueles Dois, da Cia Luna Lunera, é um dos
destaques do evento (Foto: Diego Pisante/Divulgação)

Como curiosidade, no ano passado, mais de 300 mil pessoas compraram ingressos para assistir aos espétáculos do festival.

Por fim, para ver a programação completa da 38ª Campanha  acesse o site do Sindicato dos Produtores de Artes Cênicas (Sinparc).

Não percam!

Luciano Oliveira

– diretor, ator, professor e produtor de teatro –

WordPress.com.

Acima ↑